quinta-feira, 23 de abril de 2009

Amar o imperfeito

Me orgulho de meus defeitos.
Me orgulho de estar cercada de pessoas imperfeitas.
Agradeço a Deus por ter me dado a oportunidade de não viver no tédio de uma vida normal, pois embora nossos sentimentos sejam penalizados no sofrimento pleno, são estes que nos dão forças para seguir adiante.
Já que estou aqui, de pé, no meio da lama... não me custa andar.
Mesmo que os passos sejam lentos, as pernas estejam cansadas e as companhias não sejam as melhores... não me resta mais nada senão andar.

Me orgulho de amar a vida, mesmo que este amor seja inconscientemente profundo.
Me orgulho de amar minhas dores, meus amigos, minha família...
Sei que sou parte dessa multidão hipócrita e mesquinha, mas ainda não perdi minha verdadeira essência. Não quero que minha vida mude fora do contexto que ainda haverá de mudar!
Não quero que as pessoas de sempre sejam outras somente para agradar os valores de uma sociedade, afinal... se foram feitas assim, deve haver algum outro motivo que não seja o de completarem uma história. Um maravilhoso livro nascido da mistura de todos os gêneros.
Amar o que é certo não é merito nenhum. Gostar do que é certo não é merito. Difícil mesmo é amar o imperfeito, somente pelo fato dele fazer parte de sua vida, se tornando então um objeto particular de afeição.
Me desculpem! Foi um desabafo.