terça-feira, 19 de janeiro de 2010

A escolhida

Entre tantas outras vidas
Outras tantas almas perdidas
Vi a sua se desfazer
Dentre inúmeros infelizes loucos
Ouvi seus gritos aos poucos
Saudarem cada amanhecer.

Entre variadas rotinas
Em milhares de meninas
Uma é destinada a sofrer
Quando falo do passado
Além de um verso rasgado
Alimento o meu ser.

Entre letras escorridas
Escarradas e esculpidas
Entendi o seu pesar
Toda angústia torturante
E a dor em seu semblante
Me ensinaram amar.

Entre amargos devaneios
Procuramos outros meios
De fugir da realidade
Cada ato indolor
Hoje deixa uma dor
Bem mais forte que a saudade.

Entre tantos outros poemas
Um ressalta seus problemas
E hoje me leva a crer
Que dentre tantas outras vidas
Outras tantas almas perdidas
Quem mais sofre é você.