sábado, 2 de janeiro de 2010

sob o sobre mim

Fogo frio, tudo e nada;
Emoções passadas, personalidade presente.
Não me julgue, não me irrite... não percebo!
Não me condene pelo grau de meu medo,
Quem dirá pela minha opinião ausente.

Sou daquele jeito, desse jeito e nem sei;
Não descrevo sensações, pessoas e momentos;
Não relato com clareza os sentimentos,
Mal sei sentir,
Nem sei amar profundamente;
Já nem me encontro constantemente,
Mal sei sorrir.

Sou fogo frio, tudo e nada;
Inodora, incolor, insensível, apática,
Talvez uma imagem desfigurada.

Impossível citar características válidas,
Quanto mais descrever algo tão complicado.
Só não me julgue,
Se nem sei sobre o presente...
É pura tolice encontrar o passado.