terça-feira, 2 de novembro de 2010

Agridoce

É agridoce a relação com quem amo;
E é insossa com quem mal conheço;
É agridoce um excêntrico fim de ano
E apenas doce é um começo.

É agridoce um sorriso pleno;
E é amarga a saudade;
Agridoce também é o veneno;
De cada ilusória liberdade.

É agridoce uma noite quente;
Contrastando ao mel da quietude;
Agridoce é o sorriso indecente;
Diante à impulsiva atitude.

É agridoce o poder de sentir;
Mas escrever, antes fosse!
Não há palavra apta a permitir
A qualquer escrita ser simplesmente agridoce.