terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Chacina de letras

Juntei meia dúzia de palavras.
Depois matei-as, uma a uma;
Apaguei letra por letra, sentimento por sentimento...
Elas iam chorando, agonizando;
Mas minhas próprias sensações não estavam mais lá.

Primeiro, "O amor se vai"... E se foi, realmente!
Se foi como a frase, ligeira e serena.
Em seguida o "conforme"... sem se conformar.
Se foram com o vento...
Palavras pequenas.

"O verso" em seguida quis acompanhar;
E foi para onde não há mais poema...
De uma poesia repleta de tons
Encontra-se um ponto, perdido e só.

No fim da chacina, restou uma palavra;
Sozinha, sem força, mas com sentido único.
Descrita por último, em sua importância...
"Acaba" é o sinal de que o verso é mudo.

Como o amor, como o poema, como o verso enfim se foi...



"O amor se vai conforme o verso acaba."