terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Como era doce;


Como era lindo;
As noites tão quentes repletas de histórias...
Que em minhas memórias...
Conservo sorrindo,

Como brilhava;
Nem mil serenatas sob a branca lua...
Me fariam amar tanto aquela rua,
E a praça, tranquila, que eu idolatrava,

Como era azul;
Aquele meu céu do outro lado da janela
E a estrela mais bela
Que apontava pro sul,

E era perfeito;
De tão empolgada com a mocidade...
Não despedi da cidade...
Que era meu leito,

Emolduro a tal querida...
Em cada segundo,
Tão perdida no mundo!...
Cidade de minha vida.