sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Quintal

Eu vi, de relance, e sem formas muito especificas, minha pequena escolinha.
Vi minha mãe numa sala próxima,
E fugi, pra assistir as aulas dela.

Eu vi, de relance, uma menina problemática,
Mastigava seus próprios fios de cabelo
E se chamava Milena

Eu vi, de relance, alguém indo me buscar,
Vi pipocas rolando no carro
Vi a noite chegando
Vi a caminhada ao luar
Vi brincadeiras
Vi a janela
Vi as estrelas
Vi as orações

E eu vi, já tão nítido, o tempo querendo passar
Em passos leves, pra não me acordar de um sonho feliz e infantilmente eterno
Mas eu vi... E, de relance, perdi o meu próprio olhar.