terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Cilada cirandinha



Ciranda cirandinha
Vá tu cirandar sozinha
Dê sozinha a meia volta
E a volta-e-meia que era minha

Pois quem quebra meu anel
E ainda julga ser de vidro
Merece mesmo um amor quebrado
Pouco, e mal esculpido!

Encontre alguém pra reclamar
Do meu vidro, do céu ou da lua
E entregue sua merda de anel
Pra ladrilhar com os brilhantes da rua.