quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Na rotina da falta de rotina...

Foi há poucos minutos o nosso terceiro aniversário de namoro que eu, desorganizada emocionalmente como sou, não consegui destacar dos demais dias que passamos juntos; talvez nem precise, já que a minha "rotina" com você é uma explosão contínua de sentimentos bons. Bons como poder descobrir a cada dia seus costumes e sua irritante falta de defeitos, que me faz volta e meia achar que fui presenteada mais do que deveria. Sentimentos bons como a sensação de poder adivinhar suas atitudes e afirmar "Viram? Eu conheço ele como ninguém!", e ao mesmo tempo me encanta a sua capacidade de todos os dias me agradar ainda mais que no dia anterior quando eu poderia afirmar que mais carinho seria impossível!!
Foi há poucos dias que eu voltei de uma visita à minha família e te reencontrei, com esse olhar sempre mais lindo e sincero do que antes. E esses dias que passamos juntos infelizmente sempre voam, como tudo que é bom...
Foi há poucos meses que me formei na faculdade e você estava lá, me fotografando com meus amigos e me vendo receber o diploma. E há mais meses ainda foi a minha primeira estreia profissional, e nem mesmo se o Papa estivesse na plateia eu prestaria tanta atenção quanto prestei naquela lateral esquerda do teatro, em que vi sentado o meu companheiro, cuja opinião sempre vai importar mais do que a da diretora.
E foi exatamente há três anos que eu aprendi a amar o mundo. Exatamente naquele dia em que, no carro, da maneira menos convencional possível você me propôs a proposta irrecusável de ser feliz pra sempre ao seu lado. E eu que sempre odiei contos de fadas, fui jogada em meio a um "felizes para sempre" que levou (quase) toda minha amargura.
Há três anos você me deu a minha vida! E eu escolhi compartilhar o resto dela com você.
Obrigada por tudo meu Danielzinho...