terça-feira, 18 de novembro de 2014

Teu poema sonoro

Rasguei seus bilhetes sonoros
Ainda cativantes
E desliguei o som de seu sotaque
Único e em mim vibrante

E o silêncio de você faz som
Me consome, e some...
Seu timbre, reconheço em qualquer tom

Num acorde arranhado
Em sua canção, que me encante
Educa meu tom desafinado