quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Pressa e prece

Rogo por um mundo que me encante
Por um dia que me levante
Por uma noite que me acorde
Por uma alma que me sinta
Por um amor que não minta
Por um estranho que me adore
Por um homem que me rapte
E por algum outro que chore

Rogo por uma dor que me ensine
Por uma inveja que me aproxime
Por uma criança que me admire
Por uma música que me toque
Por baladas mais blues, menos rock
Por um pai que me procure
Por uma bebida que dure
E por pontos na média do ibope

Rogo por mais dias nos anos
Por mais fatos, menos planos
Por amar ou perder sem enganos
Por tudo mais que me interesse;
Rogo por minhas andanças
Por janelas sem lembranças
Por tudo isso, que me cansa
Rogo por não rogar em prece.