sábado, 25 de abril de 2015

Exaustão

Viciei na exaustão.
E perdi meus olhos pras palavras
Minha pele pro toque
Meus cabelos pro vento
E minha boca para a expressão.

Viciei na exaustão.
Perdi meus pés num jogo de corda
Meus dias pros meus sonhos
Meus ouvidos pra música 
E meus traços pra coordenação 

Viciei na exaustão.
Perdi meus joelhos num circo 
Meus amigos pro trabalho
Meu trabalho para a arte
E minha lógica pra emoção.

Perdi meu tempo em devoção 
Perdi minha alma pro amor
Minha força pra qualquer dor
Perdi-me em tanta alegria
Viciei na exaustão.
E pro mundo perdi-me então.