sexta-feira, 5 de junho de 2015

Meu inferno de bom grado

Pelo visto não ouviste meu pedido
Para que venhas estragar minha vida,
Chegando em silêncio, descomprometido
Trazendo paixão, vicia-me em recaída!

Enviei-lhe por telepatia 
Obsessiva, diariamente lembrei
Do seu rosto, que anestesia,
Que, a mim, és a droga que almejei

Deves estar pensando em alguém
Que não tenha visto apenas de passagem
Questiono nas vezes que volto pro trem
Se seus olhos teriam sido miragem

Independente, assim chegue de mansinho
Tenho amor tranquilo, leal e profundo
Que jogaria ao vento sem dó nem carinho;
Se vieres agora bagunçar o meu mundo!