segunda-feira, 24 de agosto de 2015

O Fim

O fim pode não ter a ver com idade ou tempo de estada nessa dimensão. Pode não ter a ver com precisar ou querer. Pode vir a ser somente a parte da história em que as pessoas aplaudem ou mantêm-se estáticas, observando as luzes se apagarem e as cortinas se fecharem.
O fim não depende do começo e tem relação intima com o meio, já que se encontram próximos. O fim é a parte mais temida e esperada do trajeto, do momento, da vida! O fim é almejado. Almejado pelos que acreditam racionalmente não existir mais nada além dele, mas que pulsam em seus corações um tantinho de esperança. Almejado pelos que o tratam como um novo começo. E almejado por quem cultiva a vida ainda em andamento.
O fim pode ser um bom companheiro à distância. E pode chegar repentinamente te separando de tudo, até dele mesmo. E quando se tem o fim como melhor amigo e, ainda assim, ele não chega, é que se renovam as melhores histórias.
O fim é um deus de alguma mitologia não identificada sobre a qual não se fala mas se reconhece a existência. Ele controla, machuca, abraça, demora e vem. Um dia vem e nos pega no colo.
O fim te arranca as palavras de uma maneira voraz e te deixa na sarjeta com suas três letras que, juntas, soam agudas o suficiente para machucar os ouvidos... O fim te arranca a plenitude e a alma. Aliás, todas as almas pertencem a ele, seja lá o que "ele" for.
O fim dói e ainda assim consegue ser melhor do que muitas partes. O fim não chega; e nem ao menos conseguimos definir se queremos vê-lo em breve. O fim não vai, porque sem ele não há todo o resto.
O fim não tem a ver com querer, realmente!... E o querer nem sabe se quer.
O fim é um ponto cruel na história de nossas esperanças. O fim não tem cor, mas é denso; e seu peso pode ser reconfortante.
O fim grita o nome de tudo em cada uma de suas letras tortas, ouve quem quer! Ouve quem já se aproximou dele o bastante para reconhece-lo sem vê-lo, mas ainda teve a oportunidade de correr de volta pros braços do começo.
Ao fim não há definição... E há definição que não tem fim!
Por isso e mais, em meus dias, peço ao fim que não se esqueças de mim.