terça-feira, 10 de novembro de 2015

A Menina Primavera

A menina do olhar duro e sorriso raro achou linda a definição, mal sabendo, com precisão, que não há beleza em mágoa.
Não há dor na primavera que, quando chegada, não sabe trazer mais do que cabe a ela.
E no início da estação, desprovida de emoção, o olhar se mantém opaco.
E o orvalho de lágrima, aos poucos trazes mais flor, que assim desabrochando, não vê mais dor, de fato.
Ah menina primavera! Que traz saudade em seus ventos... Meus sorrisos, desatentos, só são raros à tua espera.
E te entendo, como entendes o olhar com que te olho, e sendo tua por entrega, não nego a comoção.
Se em meu ser há primavera, há  inverno no coração.