domingo, 10 de abril de 2016

A avó no sobrado


Por que você não desce? 
Vem, me faz um café, 
Uma frase, um carinho... 
O mundo parece sozinho. 
Desce as escadas devagarinho, 
Me põe outra vez no colo 
E faz cafuné. 

Vem ver o jardim, tá lindo! 
Logo mais o outono vai indo 
E está coberto de flores. 
Senta aqui na sala, 
Me ajuda a decorar a fala 
Que conta sobre seus amores. 

A casa não tá arrumada, 
Desce aqui pra ver! 
A vida tá toda errada 
Desde que deixou de descer. 
A louça mal tá lavada 
E a minha alegria largada 
Em algum canto de você. 

As luzes estão todas acesas 
Mas não há quem desligue. 
Não vou tocar nas paredes. 
Há papeizinhos nas mesas 
Então desça e implique. 

Eu sentei no seu cantinho, 
Levanta e vem me tirar! 
Mudei seu canal preferido, 
Quero atenção e carinho, 
Mas você não vem me dar... 

Deixa a cama, desce a escada. 
Traz ele junto contigo. 
A mim já não resta nada, 
Não aguento a caminhada 
Sem o teu abraço amigo. 

Então desce mais uma vez 
Vem pra sala, cozinha, jardim... 
Há tanto vazio em mim... 
E embora estejam lá em cima 
Sinto falta de vocês!