terça-feira, 28 de junho de 2016

Em nome do imoral e dos maus costumes

Tava pensando aqui, brasileiro é um bicho engraçado né?

Que a gente tira sarro de tudo, é fato. Que perdemos mais tempo fazendo memes do que assistindo TV Senado, infelizmente também é. Mas sei lá, triste pensar que na terra de Zuêraland ainda haja tanta guerra apesar dessa sintonia bizarra que todos temos para a babaquice. Talvez tenhamos o potencial de um exército do Monty Phyton, mas isso nunca saberemos, porque a gente assiste mêmo é vlog engraçadão e segue @A_Pomba no Twitter.

O povo brasileiro é tipo a criança da família. Daquelas que apresentam o Snap do Fábio de Melo pros primos no almoço de domingo. Brasileiro é o pivete que consagra Carreta Furacão por identificação. Consagra tudo que se aproxime da falta de sentido que nossas vidas são. Brasileiro é a criança chata que apanha dando risada e termina com um "nem doeu", quando na verdade doeu sim. E dói todo dia! Dói no bolso, no ego, na alma... Dói na esperança...

Brasileiro é o pirralho que briga com o irmão por CapitãoAmericaXIronMan, BatmanXSuperman, ForaPetêXNãoVaiTerGolpe porque acredita que ainda assim vai valer a pena apanhar depois por conta da gritaria (E, sem ironia, que lindo!). O povo brasileiro é o irmão mais velho e a nossa política é o irmão mais novo que faz xixi na cama. No final é a gente que apanha da mãe; mas nóis zoa antes de apanhar. (Ô! E como zoa!!!!)

Afinal, o que importa mesmo é a esperança de um dia não termos o que detonar na net.

Brasileiro é foda! Ri do 7x1 pra ser forte. Ri pra tentar melhorar. E não melhora, mas também não desiste.

A gente tenta definir o povo brasileiro com analogias mais podres que nossas "ideologias" (entre milhões de aspas) mas acaba fazendo o que todo bom internauta mais sabe fazer: falar merda. E seguimos rindo do estado islâmico e de suas ameaças. Porque nesse país tão lindo e abençoado viver AINDA É um atentado diário.


Grata pela atenção.

Bora voltar pra exaltação ao ódio e à Carreta Furacão...