terça-feira, 28 de junho de 2016

Sampaleando

Na esquina da Ipiranga tem som
E tem rock na galeria.
No Ibira corrida, com tempo bom
Tem trânsito sim, todo dia!
Tem samba no centro
Não tem paz, no momento
Nesse centro desigual
Pois morador do recinto
É alegoria, não minto
Na virada cultural.

Na Oscar Freire tem madame
Vai lá no Sírio, buscar o exame!
Ou na Beneficência Portuguesa?
Se conseguir a proeza
Chegue a tempo na São João.
Se atravessar a cidade
Vem pra leste, que é felicidade
Pois tem jogo no Itaquerão.

Vai ter protesto na Paulista, viu?
Bora véi, andar na ciclovia...
Ocuparam as escolas, governador sumiu
E agora é panelaço todo dia.
Vem pra Augusta esquecer essa história
A rua que mescla trabalho e orgia

Na Indianópolis tem rapaz solteiro
A Faria Lima não é Brigadeiro!
Saudades do antigo Teatro Abril...
Falando em teatro, vamos pra Roosevelt
O Parlapatões não fecha tão cedo
E sempre tem peça que a gente não viu.

O Higienópolis, ainda sem trem
Repleta de gente da 'elite do bem'
Que não quer metrô. "Aí já é demais!"
"Vai encher meu bairro de marginais,
Que parcelam fogão nas Lojas Cem"
Voltar de busão, afinal, que mal tem?

Ah, cuidado com o Arouche à noite
Com a Mooca, não mais do que com o Carrão
E aquele sotaque "italianado"
Que sai paulistíssimo, em tom engraçado
É só o começo da imigração.

Na Liberdade nem liberdade tem
E os bolivianos invisíveis?
Fabricando tecido mal compram o pão
Assim seguimos insensíveis
E o tecido africano só paga a intenção.

Cuidado com a gíria, não diga "mermão"
Tem taxista que enrola cliente
Se entrar na 25 só sai em Março.
E tem tanto turista no Mercadão
Que às vezes enrolam até a gente.

A Estação da Luz é perto do Brás
Tem roupa barata, melhor que o Iguatemi
Mas é fácil demais se perder por ali
E se acaso o caminho não souberes mais
O metrô liga tudo, que diferença faz?

Mas cuidado é pouco na capital paulista
GLBT, militante e feminista.
O povo de Sampa não é brincadeira.
Paulistano assalta, pula na linha e morre
E é essa gente no metrô, que corre
Que carrega em suor a nação brasileira.

Foto: @gabrielrufp